6 dicas excelentes para jovens advogados na advocacia de juizado especial cível

É comum que em início de carreira ou logo após a formação, haja muitos planejamentos e objetivos quanto à vida profissional. Além disso, é comum se perguntar sobre como ter um maior crescimento diante do mercado de trabalho.

Por isso, há muitas dúvidas sobre quais competências e habilidades são imprescindíveis nesse momento desafiador em que existe o desejo de superar metas e se destacar diante da concorrência. E isso, ocorre em todas as áreas de atuação.

Na advocacia não é distinto disso. Assim, o conselho que damos é procurar por profissionais que já atuam na área para poder usá-los de referência para encontrar, nesse caminho, conquistas profissionais que possam motivá-lo.

É importante entender que tais profissionais em quem se deve espelhar são pessoas que passaram por muitos processos e tribunais e que podem fornecer dicas valiosas no que diz respeito à carreira, incluindo suas experiências tecnológicas com softwares jurídicos.

Aqui neste artigo da Sercortes haverá algumas dicas essenciais para você recém-formado, que quer se destacar nesse ramo da advocacia, assim, você saberá o melhor a se fazer nesse momento.

Seja comunicativo

De fato, os advogados, sejam eles de escritórios ou autônomos, possuem uma ótima escrita e oratória. E isso não é tudo e não significa que somente a comunicação seja eficiente.

Por isso, para se comunicar de forma eficiente, é preciso ser objetivo e claro, não fazendo uso de frases ou expressões ambíguas e com cuidado nos exageros, pois, se comunicar de maneira satisfatória não é sinônimo de falar ou escrever em abundância.

A dica, portanto, é falar e escrever o suficiente para que não se tenha dúvidas. Em vista disso, é importante se certificar se o que foi dito ou escrito foi bem recebido pelo seu público.

O é ideal ler muito, pois, a leitura é o caminho para uma boa escrita e fala. Utilize a língua portuguesa sem floreios para não dar a chance de os receptores entenderem outra coisa além do que se pretendia que tivessem compreendido, apostando na objetividade.

Tenha planejamento

Planejar é essencial para conhecer quais serão as próximas ações, além de possibilitar que o profissional fique ciente de todos os riscos que correrá ao longo de seu percurso.

Isso, portanto, não se aplica para apenas um setor do ramo de advocacia e sim para todos, seja você autônomo, sócio ou se trabalha no departamento jurídico do escritório.

Dessa forma, crie uma agenda de modo que todo o caminho a ser traçado seja mapeado até o momento que chegar até o fórum. Elabore sua fala, tenha uma boa estratégia e idealize toda a possível negociação da causa.

Planejar, portanto, é se resguardar e estar apto para trabalhar em locais turbulentos.

Verificação do tipo de audiência

Talvez, essa dica seja a mais importante de todo o artigo, isso pelo fato de que a Lei dos Juizados conta com somente duas vertentes de audiência, seja de audiência de instrução e julgamento ou de audiência de conciliação.

Alguns preferem realizar audiências que não são no mesmo dia, mas, muitos têm o costume de realizar o que chamamos de “audiência una” que junta a instrução e conciliação no mesmo dia.

O que se torna muito importante no fato de verificar o tipo de audiência é o fato de haver uma precaução no que diz respeito à produção de provas ou solicitação de novas testemunhas, considerando que nas audiências de conciliação não é necessário esse tipo de produção.

Contudo, esteja sempre atento aos despachos dos juízes ao decorrer de todo o processo para, desta maneira, não ser pego desprevenido.

Chegada com antecedência na audiência

Essa dica, de fato, é infalível. Ir ao local da audiência com antecedência de, no mínimo, uma hora e meia, sempre oferecerá uma vantagem em relação ao oponente, isso devido ao fato de que dará oportunidade de uma melhor análise no processo caso seja necessário apurarem novos fatos.

Além do mais, é importante também que haja tempo para que aconteça uma boa conversa entre o advogado e seu cliente, a fim de tranquilizar o profissional.

Concentração nos depoimentos tanto do autor quanto de suas testemunhas

Dizer ao cliente o que ele deve testemunhar não pode ser feito por caracterizar má-fé. No entanto, é o dever do advogado norteá-lo e acalmá-lo nesse momento de nervosismo, além de guiá-lo a testemunhar verdadeiramente em juízo.

A atenção do profissional nesse momento é extremamente importante já que é ele que está representando o réu, além de conseguir tirá-lo da sala para evitar indevidas colheitas de informações que possam prejudicar o depoimento em breve.

Sendo assim, quando for chamar as testemunhas, chame a mais importante para que seja o foco das atenções, pelo fato de ter a possibilidade de o Magistrado dar um basta nas perguntas e fazer a dispensa das demais pessoas presentes que iriam testemunhar.

Verificação dos andamentos de processos regularmente

Essa é uma dica muito relevante levando em consideração que dará a oportunidade do advogado acompanhar o andamento do processo em que está inserido, sem ter que ser surpreendido com repentinos despachos vindos do Magistrado.

Outros fatores importantes para os jovens advogados

Além das dicas mencionadas, é importante para os jovens advogados que estão iniciando sua carreira, seguir caminhos que lhe encaminhe para o sucesso que será passado rapidamente aqui, sendo elas:

  • Realizar a petição inicial equilibrada;
  • Atentar-se na representação pessoal no juizado e na necessidade de advogado em causas acima de 20 salários mínimos;
  • Identificar o melhor momento para assumir a fala de forma assertiva;
  • Ser paciente;
  • Em muitos casos, há a necessidade de ser fluente no inglês, por isso, para não ser pego de surpresa, o ideal é já ter essa habilidade;
  • Ser preciso na resolução de problemas;
  • Ter ambição de realizar alguma especialização em áreas de expansão;
  • Manter uma rotina de estudos para se manter atualizado e ter domínio sobre tudo que fala.

E que tal, formar uma sociedade de advogados? Caso tenha interesse em saber mais sobre como começar uma sociedade de advogados, leia: 6 passos exclusivos para começar uma sociedade de advogados.

Postagens Relacionadas